Não perca o E-book!

Inscreva-se para receber o E-book CCDAE grátis com 101 reflexões no Evangelho!

ESTUDO: O JEJUM QUE AGRADA A DEUS

Entenda, com este texto, o jejum que agrada a Deus – que é o jejum que os antigos Profetas de Israel, Isaías e Zacarias, nos ensinaram.

O jejum que agrada a Deus

          O jejum que agrada a Deus

O jejum que agrada a Deus: a primeira coisa que precisamos entender é que jejum é um termo que significa “abster-se” ou “privar-se”. Pode ser abster-se de alimentos, porém não necessariamente. Entretanto, o que interessa para nós, Povo de Deus, é o jejum conforme o sentido contextual da Escritura, que é o verdadeiro jejum, o jejum que agrada a Deus. É esse jejum que nós vamos aprender com esse texto agora. Medite e reflita nas próximas linhas…

A primeira narração que vamos ter como base, encontra-se no livro do Profeta Isaías, no capítulo 58. É muito comum encontrarmos escrito antes desse capítulo uma epígrafe que diz “O jejum que agrada a Deus”; e, de fato, é disso que o Profeta Isaías trata nesse capítulo. A narrativa começa com Deus, através do Profeta, exortando o Povo de Israel, pois o Povo de Israel estava fazendo algo que estava desagradando o Senhor: eles estavam fazendo um jejum que o desagradava. O Povo estava questionando a Deus o motivo pelo qual Deus não estava notando e se importando com a abstinência de alimentos deles. Deus responde o Povo de Israel, e mostra em que eles estavam errando e qual é o verdadeiro jejum que o agrada. Deus é rápido e claro em esclarecer a questão dizendo que nos dias que o seu povo faz jejum, eles cuidam dos próprios negócios (tratam dos seus próprios lucros, ou seja, do próprio ventre), exploram os trabalhadores, discutem e brigam entre si. Deus fala que jejuando desse jeito (jeito errado), a voz daquele povo não seria ouvida. Deus pergunta para aquele povo, se aquele tipo de abstinência era, de fato, o que Ele escolheu (de fato não havia nenhuma abstinência por parte do povo, exceto a de alimentos), se o Jejum que o agrada é se humilhar, passar fome, ou seja, aqui cabe aquela famosa expressão “fazer voto de miséria”.  Deus fala que o jejum que o agrada é abster-se da injustiça contra o próximo (soltar as correntes da injustiça), abster-se da opressão contra o próximo (desatar as cordas do jugo), abster-se da avareza e de parte da comida que possui para partilhar com o faminto, abster-se de parte da roupa para vestir o irmão que não tem o que vestir. O Amor que vem de Deus é um combustível  que nos move em direção das boas obras. Praticando esse jejum (privação), movido por esse amor da Graça de Deus, Deus afirma, nos versículos 9 e 10, que nos ouvirá e que nós clamaremos por Ele e Ele dirá: estou aqui! Confira esses versículos logo abaixo:

“Aí sim, você clamará ao Senhor, e ele responderá; você gritará por socorro, e ele dirá: Aqui estou. Se você eliminar do seu meio o jugo opressor, o dedo acusador e a falsidade do falar; se com RENÚNCIA própria você beneficiar os famintos e satisfizer o anseio dos aflitos, então a sua luz despontará nas trevas, e a sua noite será como o meio-dia. Isaías 58:9-10

A segunda narração que aponta o jejum que agrada a Deus fica no livro do Profeta Zacarias, no capitulo 7. A fala de Zacarias é muito parecida com a fala de Isaías. Parece até que ambos os Profetas se conheciam, pois afirmam a mesma coisa, mas com palavras diferentes.  A mesma questão se levanta, e Deus dá a mesmíssima resposta. Zacarias relembra que Deus já havia falado com o povo, através dos profetas que o antecederam, sobre o jejum o agrada. Acompanhe a narrativa abaixo:

“Pergunte a todo o povo e aos sacerdotes: Quando vocês jejuaram no quinto e no sétimo meses durante os últimos setenta anos, foi de fato para mim que jejuaram? E quando comiam e bebiam, não era para vocês mesmos que o faziam? Não são essas as palavras do Senhor proclamadas pelos antigos profetas quando Jerusalém e as cidades ao seu redor estavam em paz e prosperavam, e o Neguebe e a sefelá eram habitados? E a palavra do Senhor veio novamente a Zacarias: Assim diz o Senhor dos Exércitos: Administrem a verdadeira justiça, mostrem misericórdia e compaixão uns para com os outros. Não oprimam a viúva e o órfão, nem o estrangeiro e o necessitado. Nem tramem maldades uns contra os outros. Mas eles se recusaram a dar atenção; teimosamente viraram as costas e taparam os ouvidos. Endureceram o coração e não ouviram a Lei e as palavras que o Senhor dos Exércitos tinha falado, pelo seu Espírito, por meio dos antigos profetas. Por isso o Senhor dos Exércitos irou-se muito. Zacarias 7:5-14

Eu desejo que você hoje não feche o entendimento para essas palavras e dê vazão a essa consciência a tal ponto desse combustível mover a sua alma em direção de quem necessita da sua ajuda, e assim você pratique o verdadeiro jejum que agrada a Deus. Esse é o nosso Deus. Reflita nisso. Fique na Paz do nosso Salvador, Jesus Cristo.

 

Sugestão para sua próxima leitura => O “MOTOR” DO ESPÍRITO E O “MOTOR” DA CARNE

Comente por meio de seu Facebook

Avatar

Bruno Monsores é Escritor, Evangelista e Idealizador do site de ensino do Evangelho Crendo como diz a Escritura (CCDAE), pelo qual ensina e anuncia o Evangelho da Graça de Deus.

Gostou da mensagem?

Inscreva-se para receber novas mensagens diretamente em seu e-mail!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

9 − 2 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 Comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.