Não perca o E-book!

Inscreva-se para receber o E-book CCDAE grátis com 101 reflexões no Evangelho!

MALDIÇÃO HEREDITÁRIA: VAMOS ENTENDÊ-LA SEGUNDO A BÍBLIA!

Compreenda e se liberte definitivamente da chamada "maldição hereditária" com esse rico e profundo estudo, à luz da Escritura, sobre esse complexo assunto. "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." João 8:32 #CrendoComoDizAEscritura

COMPREENDENDO A MALDIÇÃO HEREDITÁRIA SEGUNDO A BÍBLIA

COMPREENDENDO A MALDIÇÃO HEREDITÁRIA SEGUNDO A BÍBLIA

“Não as adorarás, nem lhes darás culto; porque eu sou o SENHOR, teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos”. Êxodo 20:5-6

Por décadas, vários homens, por meio do sistema doutrinário-pagão-religioso do neopentecostalismo, vêm usando o texto acima — ignorando outras passagens bíblicas que são claras em afirmar que os filhos não levarão a culpa dos pais e vice-versa — para dar sustentação à doutrina da maldição hereditária; e, dessa forma, levar várias pessoas cativas a eles (exploradores da fé alheia). Induzem várias pessoas a passarem por intermináveis ciclos de correntes e “quebra de maldições”. A sensação que esse processo deixa nas almas dos indivíduos que passam por ele é que a suposta maldição hereditária nunca é desfeita por completo, pois sempre se faz necessário mais uma corrente, “oração forte”, jejum, campanha, ou ritual para que ela (maldição hereditária) seja quebrada. Com isso, foi plantado no inconsciente de milhares de pessoas que quando se trata de maldição hereditária, a coisa é “pesada”. Algumas pessoas imaginam até que é algo cármico; portanto, acham que elas estão destinadas à culpa e às consequências dos pecados dos seus pais para sempre. Infelizmente muitos foram educados nesses conceitos religiosos terroristas, em que “Deus” é um “Deus” tão fraco que possui grandes dificuldades de desfazer uma maldição; e, quando o assunto é maldição hereditária, esse suposto Deus não dá nem solução definitiva. Então, primeiramente, saiba que todo esse processo é engodo para que você sempre compareça no covil dos lobos e os sustente com parte de sua renda. Agora vamos ver o que a Palavra de Deus diz sobre maldição hereditária. Primeiro vamos ler o que o próprio Cristo disse sobre o assunto. A narrativa está no capítulo 9:1-3 do Evangelho de João:

João 9:1 Ao passar, Jesus viu um cego de nascença. 

João 9:2 Seus discípulos lhe perguntaram: “Mestre, quem pecou: este homem ou seus pais, para que ele nascesse cego?” 

João 9:3 Disse Jesus: Nem ele nem seus pais pecaram, mas isto aconteceu para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele.

Essa questão de os filhos levarem a culpa e as consequências dos pecados dos seus pais era uma certeza para os discípulos de Jesus; tanto é que eles nem deram outra opção para Jesus. Perguntaram logo: “Quem pecou?”, não dando outra alternativa para Ele. Então Cristo desfaz essa interpretação errônea da mente deles, e faz os seus discípulos interpretarem as mazelas genéticas e/ou de nascença de outra forma. Cristo disse que “Ninguém pecou”, e que isso aconteceu para que “Deus se manifestasse na vida daquele homem”. Bem, já temos o parecer, mediante uma situação real que aconteceu com Cristo e seus discípulos em Jerusalém, do próprio Cristo sobre o assunto; mas o Profeta Ezequiel também está em harmonia com Cristo quando diz isso, literalmente, em Ezequiel 18:20-21:

Ezequiel 18:20 “Aquele que pecar é que morrerá. O filho não levará a culpa do pai, nem o pai levará a culpa do filho. A justiça do justo lhe será creditada, e a impiedade do ímpio lhe será cobrada”.

Ezequiel 18:21 “Mas, se um ímpio se desviar de todos os pecados que cometeu e obedecer a todos os meus decretos e fizer o que é justo e direito, com certeza viverá; não morrerá”.

O Apóstolo Paulo também faz coro com Cristo e Ezequiel quando ele diz: “De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus” Romanos 14:12. Perceba que é “de si mesmo” e não dos pecados de outrem.  Como Deus — que não levou e não leva em consideração o tempo da ignorância humana — pode nos culpar, punir e permitir um carma sobre nós pelos pecados dos nossos antepassados? Impossível! Deus não é injusto, pelo contrário, Ele é justo com a existência de cada um de nós. No próprio contexto de Ezequiel,ele diz isso: “Contudo, vocês dizem: “O caminho do Senhor não é justo”. Ouça, ó nação de Israel: O meu caminho é injusto? Não são os seus caminhos que são injustos?” Ezequiel 18:25

Sim, são os nossos caminhos que são injustos, por isso sofremos as consequências dos nossos próprios pecados — o filho pródigo da parábola de Jesus que o diga! Não é a mão de Deus pesando sobre nós, mas sim a nossa culpa e todas as demais consequências do nosso caminho de perdição que nos corroem, pois em Ezequiel também diz: “Teria eu algum prazer na morte do ímpio? Palavra do Soberano, o Senhor. Ao contrário, acaso não me agrada vê-lo desviar-se dos seus caminhos e viver?” O nosso próprio caminho de perdição é o nosso morrer e Deus não está na terra para dificultar o nosso caminho, mas para nos apontar e nos estimular a andar no Caminho de Vida, da Bondade, da Fé, da Compaixão e do Amor. Ele não tem prazer no nosso sofrimento. Aí alguém pode me perguntar: “Evangelista Bruno, por que, no meio de tantos exemplos bíblicos que comprovam que maldição hereditária não existe, há esse texto da introdução que parece estar em contradição com a própria bíblia? Bem, primeiro quero dizer que não existem somente os exemplos que eu dei; existem outros que também mostram que não existe maldição hereditária e nem carma, como o da passagem abaixo:

2 Crônicas 25:4  “Contudo, não matou os filhos dos assassinos, de acordo com o que está escrito na Lei, no Livro de Moisés, onde o Senhor ordenou: “Os pais não morrerão no lugar dos filhos, nem os filhos no lugar dos pais; cada um morrerá pelo seu próprio pecado”

Segundo, a resposta dessa aparente contradição está em Jeremias 32:18. Nesse caso eu usei a bíblia hebraica (traduzida do hebraico direto para o português), pois ela é mais próxima do original e das cópias mais antigas. Repare no versículo abaixo que diz, com outras palavras, a mesma coisa que o nosso texto introdutório se refere:

“Tu usas de misericórdia para com milhares de gerações e punes a iniquidade dos pais em seus filhos, QUANDO SEGUEM O MAU CAMINHO DOS PAIS, ó Deus, grande e poderoso, cujo nome é Eterno dos Exércitos”! Jeremias 32:18

Agora ficou mais claro ainda, pois existe uma condição: “QUANDO SEGUEM O MAU CAMINHO DOS PAIS” — ou seja, ele sofrerá as consequências (o texto usou o verbo “punir”) do seu próprio caminho mau. Perceba que essa “punição” que o texto menciona não se trata da punição de morte eterna, mas sim das consequências dos próprios pecados; ou, usando a linguagem do versículo acima, sofrerá a “punição” do seu próprio “mau caminho”. Ora, nesse sentido, não é só quem veio de família impiedosa e idólatra que sofre consequências, mas todos os que entram por caminhos de dores — inclusive aqueles que vieram de famílias genuinamente cristãs. Se lembra do filho pródigo? Ele era filho de um Pai maravilhoso; e, mesmo assim, decidiu seguir um caminho mau e de dores — e sofreu as consequências (ou punições) correspondentes a sua própria decisão.  Deus não faz acepção de pessoas! Na verdade, aquilo o que a Religião chama de “maldição hereditária” ou de “carma”, nada mais é que herança cultural, psicológica e/ou genética familiar. Tais heranças podem ser doenças orgânicas, cerebrais, psicológicas ou de origem cultural/doutrinária — todavia, no aspecto espiritual, não há nenhuma culpa, punição, dívida, sina, carma ou maldição herdada. As famílias seguem um fluxo inconsciente, passado de geração em geração, até que um membro da família toma consciência do processo, se revolta com aquele fluxo e segue outro caminho e estilo de vida. Esse fluxo na teologia é chamado de lei da hereditariedade; e todos nós estamos sujeitos a essa lei. Cabe a nós decidirmos não sermos semelhantes aos nossos antepassados, pois nós fomos criados como indivíduos; cada um com a sua particular história e ser interior. Tudo é questão de decisão de consciência em seguir um outro caminho (caminho do bem e do progresso pessoal) a todo custo. Não nascemos para ser escravos de costumes e padrões adoecedores — nem dos costumes e padrões do mundo nem religiosos  nem familiares. Definitivamente não existe essa tal maldição hereditária cármica propagada pelo paganismo religioso. O capítulo 18 de Ezequiel é todo dedicado a responder essa questão para o povo de Israel, os quais, assim como os discípulos de Cristo, pensavam erroneamente a respeito desse assunto. Todavia existe uma maldição hereditária que a Escritura conhece e essa maldição hereditária foi herdada, por toda a humanidade, por intermedeio de Adão. A nossa natureza é pecaminosa, pois ela foi herdada do primeiro pecador humano, Adão.

“Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem (Adão), e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram;” Romanos 5:12

Porém Jesus Cristo nos libertou da maldição hereditária de Adão: carregamos a natureza pecaminosa adâmica (seremos libertos dessa natureza com a redenção dos nossos corpos mortais); todavia, pelo ato de Graça de Jesus na Cruz (o último Adão), recebemos a nossa justificação, ou seja, o perdão dos nossos pecados e a nossa absolvição pela Graça.

Romanos 5:17 “Se pela transgressão de um só (Adão) a morte reinou por meio dele, muito mais aqueles que recebem de Deus a imensa provisão da graça e a dádiva da justiça (perdão de pecados) reinarão em vida por meio de um único homem, Jesus Cristo.”

Romanos 5:18 “Consequentemente, assim como uma só transgressão (a transgressão de Adão) resultou na condenação de todos os homens, assim também um só ato de justiça (o ato de Jesus na Cruz) resultou na justificação que traz vida a todos os homens.” 

Está feito! E, definitivamente, consumado! Para os céus está tudo resolvido e o adversário de nossas almas sabe muito bem disso. O castigo que nos trouxe o favor de Deus estava sobre Ele (Jesus). Não existe uma conspiração dos céus contra nós, o que existe é um Deus cheio de compaixão e de favor para com a nossa existência. Também não existe ira divina sobre nós, apesar de existir sim “punições” (note as aspas) corretivas de Deus para o nosso próprio bem — e elas acontecem na existência de cada indivíduo, sempre que se faz necessária tal correção.  Em Hebreus 12:5-8 está revelado sobre essas correções, veja:

Hebreus 12:5 Vocês se esqueceram da palavra de ânimo que ele lhes dirige como a filhos: Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, 

Hebreus 12:6 pois o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho.

Hebreus 12:7 Suportem as dificuldades, recebendo-as como disciplina; Deus os trata como filhos. Ora, qual o filho que não é disciplinado por seu pai?

Hebreus 12:8 Se vocês não são disciplinados, e a disciplina é para todos os filhos, então vocês não são filhos legítimos, mas sim ilegítimos.

Percebeu? Não é conspiração ou ira de Deus sobre nós, mas sim um Pai que, por nos amar, nos disciplina.  Claro que também existem outros fatores que operam e acabam parecendo que se tratam de uma ira de Deus sobre nós. Um bom exemplo disso são as aflições deste mundo. Lembre-se que o mau ainda opera no mundo, que é do maligno. Bem, além disso, temos também as dores e dificuldades naturais do processo de existir em um corpo orgânico, mortal e frágil. Por último, eu quero mencionar que, pelo ato de Jesus na Cruz, também fomos livres de outra maldição: a maldição prescrita na Lei!

“Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;” GL 3:13

Deus é por nós! Se Ele não fosse, ninguém suportaria existir. Mas podemos todas as coisas Naquele que é por nós e que nos fortalece.  Então, mediante tamanha Graça manifestada e concretizada na Cruz (na verdade, antes da fundação do mundo), eu apelo que você não se deixe moldar aos padrões desse mundo nem de Adão, mas sim ao Espírito do Evangelho de Cristo. Deus separou um dia que Ele irá acertar contas com cada indivíduo; mas, nós que um dia nos arrependemos e tivemos a consciência lavada pelo Espírito da Graça de Deus, não precisamos nos preocupar.

“Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Romanos 8:1

Paz de Cristo a todos.

Gostou dessa mensagem? Possui mais alguma dúvida sobre o assunto? Então se inscreva para receber novas mensagens diretamente no seu e-mail pessoal, e comente através do campo abaixo.

Texto recomendado: Não vos vingueis a vos mesmos

Comente por meio de seu Facebook

Avatar

Bruno Monsores é Escritor, Evangelista e Idealizador do site de ensino do Evangelho Crendo como diz a Escritura (CCDAE), pelo qual ensina e anuncia o Evangelho da Graça de Deus.

Gostou da mensagem?

Inscreva-se para receber novas mensagens diretamente em seu e-mail!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.